Recado

Recado

Pior do que vácuo de poder é vazio de governo. Nem golpe de estado ou qualquer outra medida institucionalmente traumática, embora por vezes eficazes em preencher o vácuo, são bem-sucedidas em ocupar vazios. Troca de guarda, metafórica ou literalmente falando, é uma coisa, troca de estratégia, plano, rumo consciente, é abissalmente distinto. Faltam ao país, no momento, objetivos claros acompanhados de instrumentos adequados e, em especial, voz e ação de comando. O poder existente é o poder democrático, sem fratura, ocos ou remendos. Mas de exercício limitado à sua força negativa, castradora, defensiva. O cenário adquire dramaticidade suplementar pela ausência de alternativas políticas que ultrapassem o prólogo dos panelaços e rosnados parlamentares. Um cínico diria que o governo tem a oposição que merece. Mas a população, vivamente empenhada na democracia, não merece nem um nem a outra. Tristes trópicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *