Boletim de ocorrência- Sessão de 4 de julho de 1955

Boletim de ocorrência- Sessão de 4 de julho de 1955

Considerações gerais em torno da situação
política nacional, bem como sobre a concessão
de plenos poderes ao Executivo.

 

Presidente – Tem a palavra o Sr. Carlos Lacerda.

Carlos Lacerda – Sr. Presidente, começo por fazer uma consulta à Mesa. Perguntaria a V. Exª.: se necessário, terei direito a prorrogação e por quanto tempo?

Presidente – De acordo com o Regimento, V. Exª. terá direito à prorrogação por metade do tempo. V.Exª. falou 15 minutos ontem, 45 minutos hoje. Terá, pois, direito a trinta minutos. Mas V. Exª. vai dispor da segunda parte da Ordem do Dia, que termina, como sabe, às 17:30.

Carlos Lacerda – Obrigado, Sr. Presidente. Era meu propósito aceitar um debate, se preciso, sobre a tese que venho discutindo perante a Câmara. Mas, antes que esse debate se torne possível e até mesmo necessário, parece-me cabível pedir a V. Exª. e à Casa que me concedam a honra de ouvir a exposição da tese sem interrupção, para que, depois de exposta, possam os apartes contribuir para o esclarecimento da matéria, dando-me a honra e a oportunidade das explicações que estejam em minhas forças.

Último de Carvalho – V. Exª. permite um aparte?

Carlos Lacerda – Estou acabando de pedir, Sr. Presidente, que não haja apartes durante a exposição da tese e o nobre Deputado por Minas começa a interromper antes da enunciação da tese.

Último de Carvalho – É justamente para que V. Exª. não seja depois interrompido.

Carlos Lacerda – Sr. Presidente, vou abrir uma exceção em homenagem a Minas Gerais, concedendo o aparte.

Último de Carvalho – Nobre Deputado, ouvi pela televisão uma palestra em que V. Exª. se referiu a esta Câmara – e faço votos para que tenha ouvido mal. Queria que V. Exª. dissesse se, por acaso, ouvi mal quando V. Exª. declarou que a maioria desta Casa era composta de corruptos e corruptores.

Carlos Lacerda – V. Exª. ouviu mal e interpretou pior. Quando à capacidade auditiva de V. Exª, dirija-se à Telex, que é, pelo que sei, um centro de cura da surdez.

Último de Carvalho – Eu me felicito e felicito a Casa pela declaração de V. Exª. de que ouvi mal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *